Terça-feira, 30 de Setembro de 2008
já foi livro de cabeceira

 


Descrição: todas as lentes podem ser boas
info: #Nokia 6630 #lente: 1.3 megapixel #4.5mm #1:3.2

publicado por Paulo Jerónimo às 12:49
link do post | comentar | favorito

12 comentários:
De Pronuncia do Norte a 23 de Novembro de 2008 às 20:23
O prometido é devido.
Ao ler o teu post , fiquei a saber que apesar da parte descritiva o livro te agradou.
O MST escritor agrada-me, ao contrário do MST homem (muitas vezes parece-me arrogante querendo fazer-nos crer que ele é que é o dono e senhor absdoluto da verdade), mas não lhe nego nem a inteligência nem o bem escrever.
Em "O Rio das Flores" para além de ficares com uma panorâmica do que foi Portugal nos primeiros anos da República e do Estado Novo, também ficas com uma ideia do que se passou no Brasil, e na Europa. Além disso MST não faz só uma abordagem politica dessa época, faz também uma abordagem social e artística. Alguém disse que "a História se repete", ao lermos o "Rio das Flores" e os diálogos das suas personagens, compreendemos o que se passou naquela época , mas ao mesmo tempo, a mim pareceu-me tudo muito actual, especialmente a mentalidade que o autor retrata da sociedade portuguesa.
Foram 3 os livros do MST que eu já li: "Sul", uma crónica de viagens que foi uma surpresa muito agradável, tanto pela fotografia como pelos artigos (recomendo e ainda por cima parece que tu gostas de fotografia); "O Equador", para mim sem dúvida nenhuma o melhor livro do autor e este "Rio das Flores".
Em termos de escrita o homem não me tem desiludido, gosto de o ler.


De Paulo Jerónimo a 23 de Novembro de 2008 às 20:31
Então ja somos dois.
O Equador vou mais ou menos a meio.
Vamos ver se chego a mesma conclusão que tu no fim, sobre qual dos livros do MST é o melhor.

Obgdo pela troca de ideias.


Comentar post

.sobre o autor
.pesquisar